segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Pá, às vezes parece que o mundo está todo contra mim!















MELHOR DESTAS FÉRIAS: perdi o livro de matemática! Sim! O tão importante que só o abrimos em casa para os milhões de exercícios que temos! Não tenho mesmo mais nada que fazer nas férias do que tpc de matemática -.-


Depois, ótimo, ótimo! Comprei uma prenda para a minha Amiga Secreta que ela já tem! (Boa Rita! -.-)


E para acabar, se fossemos a contar pelas lojas a que fomos hoje, teria, quê? CINCO ipods?! Pois bem, nem um ...


Se isto é o Karma, alguém que me diga o que ando a fazer mal que eu não atinjo...

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Luis de Matos no Alta Definição



“(...) Por muito mal que seja aquilo que te está a acontecer, é facílimo fazer uma lista de pelo menos 10 milhões de nomes de outras pessoas, como nós, cuja realidade é muito pior e cujo o sofrimento é incomparável. «Ah mas eu perdi a minha mãe» pois, mas houve quem não a chegasse a conhecer (…) Nós devemos utilizar o dito sofrimento dos outros pelo menos para colocar o nosso em perspectiva, e dizer assim: «é mau, é desagradável, claro que sim, gera sofrimento, mas podia ser muito pior.» (...) ”

domingo, 11 de dezembro de 2011

Sometimes I just wanted you to be a little bit more romantic...




I guess it's too much to ask...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A melhor coisa de estar doente é ter toda a gente a ser querida comigo :D

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Derrotas

Bem, podemos dizer que tem sido uma época atribulada e este feriado, este jogo em particular, foi, no mínimo, RIDÍCULO! Perdemos 3-0... O último set foi uma autêntica humilhação (25-5)...

Enfim... Não se treina bem, não se joga bem.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Esqueci-me do telemóvel no clube, boa -.-

domingo, 6 de novembro de 2011

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Álvaro de Campos

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.
As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

14 x Amor

Não acredito! Não concordo! O amor não é um bicho de sete cabeças! O amor não é complicado nem é difícil! O amor não é aborrecido, repetitivo ou enjoativo! O amor não é fogo! Não queima, não destrói, não devasta e, principalmente, não extingue!

O amor é um estado de pura alucinação! É calmo, sereno, sem sobressaltos. Não tem buracos, rasgos nem falhas! É constante, contínuo, crescente... Mas não é monótono! O amor é uma presença, e nunca, nunca uma ausência! É uma sensação, uma emoção, um sentimento! Não é abstracto!

O amor é o hoje! Foi o ontem! Será o amanhã! O amor é para sempre, para a eterna eternidade! Sobrevive neste mundo e em todos os outros! Não tem uma só realidade! Tem várias e todas elas se cruzam em algum ponto!

O amor está em toda a gente porque toda a gente é amor! O amor é único, especial, insubstituível! E, embora lhe chamemos sempre amor, não há ninguém que o sinta como nós próprios!


O amor não se conserva. Recicla-se!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

sad sentence :(

Há dias e dias! Dias bons, dias maus... Horríveis! E, às vezes, óptimos! Há dias indiferentes e, sem dúvida, há dias inesquecíveis!
Nestas últimas 2 semanas, foram SÓ dias inesquecivelmente óptimos! Ainda assim, tem dado tempo para pensar em coisas tristes.

A frase triste de hoje foi:


«Quero morrer antes de ti, para nunca ter que viver sem ti!»



terça-feira, 12 de julho de 2011

Excelência

Constantemente mudo os meus objectivos. Constantemente mudo os meus limites. Constantemente transformo-me. Constantemente evoluo.

Limite é a linha imaginária que separa o "ok, VOU cair para o lado" e o "ok, JÁ caí". Mas é uma linha que varia consoante diversos factores como o "ok, caí, espera 5 segundos: um... dois... três... quatro... cinco... e toca a levantar!". E continuo no mesmo dilema: "vou cair", "caí"; "vou cair", "caí"... Afinal, porque é que nos levantamos, se sabemos que vamos cair? Qual o objectivo?! Lá está... Daí o Objectivo variar na razão do Limite! Daí eu ser razoável, passar a ser boa, muito boa e, um dia, atingir a excelência!

E sabem o que é que os meus treinadores me ensinaram?





"A excelência é fazer algo comum,

de um modo extraordinário!"

quarta-feira, 15 de junho de 2011



Campeãs Nacionais 2010/2011

Valeu bem a pena tanto esforço!

sábado, 11 de junho de 2011



« Deixa acontecer naturalmente,

Eu não quero ver você chorar,

Deixa que o amor encontre a gente,

Nosso caso vai eternizar! »

domingo, 5 de junho de 2011

"Há coisas que não se explicam, sentem-se!"

Neste momento questiono-me O que é ser campeã nacional?.
Mal posso esperar por descobrir!




Final8? Vamos lá meninaaaaaaaaaaaaaaas ! :D

terça-feira, 24 de maio de 2011

Segunda, Terça, Quarta, Quinta, Sexta, Sábado, Domingo, Segunda, Terça, Quarta...


Bem, se não mudamos a rotina, temos que TODOS os dias são EXACTAMENTE IGUAIS!

Que aborrecimento, hein?

domingo, 22 de maio de 2011

NO REWARDS

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Sabes o que é ser a inspiração de alguém? Ser a força de alguém? A pessoa de alguém? O mundo de alguém? A vida de alguém? Sabes o que é ser o "tudo" de alguém? O "mais-que-perfeito" de alguém? O ar de alguém? Sabes o que é ser a água de alguém? A comida de alguém? A droga de alguém? Sabes o que é ser a referência de alguém? O exemplo de alguém? O porto de abrigo de alguém? Sabes o que é ser os dias de alguém? Os minutos de alguém? Os segundos de alguém? Sabes o que é ser o essencial de alguém? O vital de alguém? O fundamental de alguém?


Posso ser o teu alguém?

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Sento-me neste banco vazio, perante este parque vazio, neste dia vazio.
Será que tudo isto está cheio, repleto, a rebentar, e, afinal, quem está vazia sou eu?
Será que estou vazia, ou estarei repleta do nada?
Apesar de tudo, sinto-me tão cheia! Cheia de quê? Do nada...
Outra vezes, quase me sinto completa, realizada, poderia acontecer qualquer coisa no mundo, no universo, eu ficaria bem. Será que ficava? Melhor que agora? Faço tudo para ficar melhor que agora.

Bem, então construo a minha vida do nada, do zero. E depois mostro-te o fruto, o meu fruto, que depois será teu também. E também te direi todos os dias que te quero, como não o tenho feito, e que te quero a cima de tudo!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Did you say it?


« I love you!

I don't ever want to live without you!

You changed my life! »

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Arrepias-me!


Adoro fechar os olhos e sentir os lábios dele nos meus, sentir as mãos dele a agarrarem-me as costas, sentir as mãos dele a puxar-me contra ele, sentir o coração dele a bater no meu peito, ouvir a respiração dele, puxar o cabelo dele, morder o lábio dele, a barba dele a picar-me...

E quando me afasto, abro os olhos e vejo que ele não está lá, arrepio-me toda!

domingo, 10 de abril de 2011

Hoje sinto-me triste. Sinto-me demasiadamente triste. Podia dizer todos os sinónimos que existem, mas sinto-me triste demais e não tenho mais força.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Today!


Se todos os dias fossem como o de hoje,

se todas as tardes fossem como as de hoje...

A vida não era muito mais bela?

terça-feira, 5 de abril de 2011

?

Há coisas que não se conseguem dizer. Há palavras que, quando saem do cérebro e chegam às cordas vocais, nos emudecem, nos entristecem. Há situações, momentos, que, quando acontecem, vão durar para sempre. Sempre?! E isso existe?! Há situações passadas, momentos passados, que nos fazem chorar, das quais, se antes diziamos «para sempre», agora perguntamos como pudemos ter feito tal coisa... Mas sendo sincera, sou inocente. No meu mundo não existem mentiras e, ou não oiço o que me dizem, ou me acredito em tudo. Acho que sou traumatizada.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Encantador!

Frases Nicola

Um dia pegas-me na mão e levas-me.
Levas-me para lugar nenhum, levas-me sem destino.
Levas-me contigo, só, sem mais nada.
Um dia deixamos tudo e fugimos juntos.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Mafalda Veiga e João Pedro Pais - Paciência



« A vida não pára, não...»

sábado, 5 de fevereiro de 2011

curiosamente


Única parte boa do dia foi ouvir:
« O único ataque bom que fiz foi com o teu passe! »

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

one month


one hickey (a)

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Justice ?

Queres falar de justiça? Sabes o que não é, realmente, justo? As tuas mensagens. No início era só "meu amor", "minha linda", "mulher da minha vida", "amo-te muito", "nunca te vou deixar", blábláblá... Um monte de tralha que me dizias e eu deixava-me seduzir. Respondia-te: "bebé", "chuchu", "meu fofinho", "és só tu, para sempre", "somos eternos", blábláblá! Teceste, ou melhor, eu deixei-te tecer uma pequena história de amor, de "happily ever after", que, como é de reparar, não foi bem para sempre...
Fomos felizes quê? Um mês? Dois meses? Uma felicidade cega, sem medida, sem controlo! Uma felicidade só...
Depois começaram os telefonemas, os "quero que seja tua a última voz que oiço antes de dormir", os "quero que seja tua a primeira voz que oiço quando acordo", os "desliga tu" "não, desliga tu, da última vez fui eu" "vá, desligamos ao mesmo tempo, um..." "dois..." "três!" " não desligaste!", os "amo-te muito" "eu mais" "não, eu mais", blábláblá, outra vez...
Não era mesmo um mar de alegria? Não era mesmo só felicidade?
E quando deixou de existir essa novidade e passou a haver cansaço? Monotonia naquele conjunto de palavras que, de tão repetidas, tão utilizadas, tão habituais, perderam o seu significado, a sua essência? Quando os "meu amor", "príncipe da minha vida", "quero ficar pra sempre contigo", "prometo nunca deixar-te", etc. se transformam em "ok", "sim", "pois foi", "ya", "deixa lá", "está bem"? Quando acabou a dicotomia "desliga - desliga tu" e "gosto de ti - eu mais" e passou a ser "desliga - "ping"" e "gosto de ti - eu sei"? Quando a história de amor deixa de ser de amor e passa a ser "história de dois companheiros"?
Aí é que começa a dureza! Aí é que se vê quem é que realmente gosta, e quem "ah e tal, até a curto". Sim, porque tu deixaste de me responder, deixaste de me atender, deixaste de vir ter comigo ao metro, deixaste de almoçar comigo, deixaste de ficar à minha espera à porta da escola... E eu não. Eu continuei a mandar mensagens, daquelas com quinze páginas! Continuei a ligar-te todas as noites e todas as manhãs. Continuei a ir ter a tua casa, a falar com os teus amigos, a ir ver os teus treinos e a ir ao café onde costumavas tomar o pequeno almoço.
Enquanto a ti te diziam "ei! és o rei, cagaste na miúda!", a mim diziam-me "és a maior ursa à face da terra, andas atrás do gajo que só te quer comer". Lá no fundo, acreditei que serias o homem da minha vida. Acreditei que contigo construiria uma casa, uma família e um negócio. Quem sabe, mais tarde até poderia escrever um livro daqueles algo enfadonhos e aborrecidos, que não interessam a ninguém, mas chegaria um no meu escritório para me sentir feliz.
Mas não, não quiseste. Fizeste questão que este futuro nunca existisse e deixaste-me. Acabaste comigo e juraste não mais voltar.
Agora reencontrei-te. Sabe lá Deus como, numa rua perdida no meio da cidade. E sabes o que é que ele, aquele que era teu "irmão" e, inesperadamente, se tornou grande companheiro meu me disse? "Foi mais injusto para ele, do que para ti.".

sábado, 29 de janeiro de 2011

Mensagem

« Estou aqui contigo porque gosto de ti, porque te quero ajudar sempre que for preciso. Quero estar lá sempre que estiveres em baixo, sempre que precisares. Estou contigo porque me deixas assim, completamente viciado em ti. Só penso na próxima vez que vou poder estar contigo. Estou aqui contigo porque ter acho uma miúda com cabeça, que sabe bem o que quer e o que não quer. Estou aqui contigo porque adoro beijar-te, porque adoro agarrar-te, porque adoro ter-te comigo. Acho-te a melhor coisa que posso ter, a melhor coisa que já tive e que me ajuda, que, acima de tudo, gosta realmente de mim. Não gosto nada quando pensas daquela maneira, quando pensas: "Porque é que ainda estás comigo?". ESTOU CONTIGO PORQUE GOSTO DE TI, RITA, PORQUE NUNCA TIVE NINGUÉM ASSIM, PORQUE ÉS ESPECIAL! É por isso que quero fazer tudo o que for necessário para não poder falhar em nada contigo e, acima de tudo, para não te perder. »

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Always running!

Most of the times for nothing, but still...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

two months!


Discussões

Sabes porque é que os namorados discutem?

Para no fim fazerem as pazes!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Diz lá uma!

O problema da inspiração é a falta da frase inicial.
FALTA A INTRODUÇÃO PARA CHEGAR AO DESENVOLVIMENTO!

Pensa em Mim - Darwin


« Inspiração dos meus sonhos, não quero acordar.
Quero ficar só contigo, não vou poder voar.
Porquê parar pra reflectir, se o meu reflexo é você?
Aprendendo uma só vida compartilhando prazer.
Porque é que parece que na hora eu não vou aguentar,
se eu sempre tive força e nunca parei de lutar?
Como num filme, no final tudo vai dar certo!
Quem foi que disse que para estar junto precisa de estar perto?

Pensa em mim, que eu estou pensando em você
e me diz o que eu quero-te dizer.
Vem para cá, para ver que juntos estamos
e te falar, mais uma vez,
que te amo.

O tempo que passamos juntos vai ficar para sempre!
Intimidades, brincadeiras... Só a gente entende.
Para quem fala que namorar é perder tempo, eu digo:
Há muito tempo não crescia o que cresci contigo!
Juntos no balanço da rede, sob o céu estrelado.
Sempre acontece, o tempo pára quando estou do seu lado.
A noite chega, eu fecho os olhos, é você que eu vejo!
Como eu queria estar contigo! Eu páro e faço um desejo.

Pensa em mim, que eu estou pensando em você
e me diz o que eu quero-te dizer.
Vem para cá, para ver que juntos estamos
e te falar, mais uma vez,
que te amo! »